Post publicado originalmente no blog Ecologia Digital em 21/05/2003, que apresenta a reformulação do governo nos setores de Tecnologia da Informação (TI) e Telecomunicações.
Os links no texto foram reativados no
WayBack Machine do Archive.org.

Image for post
Image for post
José Dirceu como Ministro Chefe da Casa Civil (2003)

Na semana que antecede a II Oficina de Inclusão Digital em Brasília, o governo Lula parece estar apresentando as ferramentas institucionais com que irá gerenciar os setores de Tecnologia da Informação (TI) e Telecomunicações. José Dirceu foi arrojado o bastante para sacramentar uma nova sigla — TIC — Tecnologia da Informação e Comunicação (texto no link está invisível) - que a partir de agora irá aglutinar muitas ações importantes que andavam dispersas no meio burocrático brasiliense. …


Post publicado originalmente no blog Ecologia Digital em 29/05/2003, por ocasião da II Oficina de Inclusão Digital, realizada em maio em Brasília pelo Ministério do Planejamento, por meio da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI), com o apoio das ONGs sampa.org e Rits. O evento sinalizou o apoio do governo brasileiro à implementação de software livre no país.
Os links no texto foram reativados no
WayBack Machine do Archive.org.

A correria é grande, e portanto só agora alguma coisa sobre a II Oficina chega no blog. O primeiro dia (27) não correspondeu às expectativas. Cheguei atrasado e não vi a abertura, mas a ausência dos ministros previstos (Zé Dirceu e Guido Mantega) foi um ponto a se lamentar — o evento merecia maior respaldo do primeiro escalão. Vi a apresentação do Jorge Sampaio do Instituto Florestan Fernandes, que me pareceu legal, mas sem nenhuma sinergia com o representante do Programa Fome Zero. Ou seja, plenárias do primeiro dia passaram em branco. …


Post publicado originalmente no blog Ecologia Digital em 17/12/2007, por ocasião do lançamento, pela Coordenação de Cultura Digital, do site institucional do Ministério da Cultura na plataforma WordPress, até então conhecida somente como ferramenta para a publicação de blogs.

Deu no WebInsider (“Ministério da Cultura adota Wordpress”):

“Equipes antenadas podem fazer o governo economizar uma boa quantia de dinheiro público adotando soluções abertas nos casos em que elas se encaixam bem.”

Image for post
Image for post

E a equipe (da Gerência de Informações Estratégicas — DGE / SE) é antenada mesmo: Guilherme Aguiar (Coord. de Interface e Integração de Serviços), Marcelo Mesquita(Coord. de Suporte e Aplicações), Thatiana Dunice e Guilherme Barcellos (Relacionamento com Públicos), e Fabiano Rangel (Layout e Interface), contando ainda com participações muito especiais de Hozielt Huston (Layout e Interface) e Rogério Pereira (Design e Arquitetura da Informação). …


A curated tweet-narrative on the coolest tech event in the GLAM world

Twitter is king in the GLAM world, and despite the increasing interference of the proprietary algorithm in the timeline — which makes us think that a mass-migration to a non-commercial alternative like #Mastodon is an increasingly relevant option — , an event like #EuropeanaTech presents a lively parallel dialogue on the bird platform. Here goes an experimental curation of tweets recorded during the event-in-a-boat, which inspired some thoughts I share with you below.

Image for post
Image for post
George Oates (@ukglo) — Check the video.

The opening conference was by George Oates (@ukglo), the designer responsible for the original memorable interfaces of the Flickr service in the last decade, and the protagonist of Flickr Commons (2008), which attracted important collections from institutions such as the Library of Congress (US), the British Library (UK) and NASA. Afterwards, her time at the Internet Archive is marked by the exploration on new forms of content discovery, and emphasizes its nonconformity with the centrality of search in the scope of the research in “digital collections. …


2º Dia — Descentralizar, Centralizar, ou navegar juntos?

A manhã do segundo dia do evento no navio foi marcada pela conferência do Ben Vershbow (@subsublibrary) que recentemente se juntou à Wikimedia Foundation, vindo da New York Public Library — NYPL, para trabalhar no reposicionamento da instituição no âmbito do mundo GLAM. Com base no plano estratégico #Wikimedia2030 — que projeta o papel da iniciativa no desenho de um futuro “comum da informação” (information commons) — Ben aponta o objetivo da Fundação Wikimedia na constituição do serviço Wikidata em infraestrutura essencial de interligação para o ecossistema de conhecimentos livres. …


1º Dia — Fontes de informação retomam a centralidade

O twitter tem penetração sedimentada no mundo dos especialistas da ciência da informação (CI) — bibliotecários, arquivistas e museólogos. Apesar da interferência cada vez maior do algoritmo na timeline — o que nos faz pensar que a migração para alternativas não comerciais como o #Mastodon é opção cada vez mais pertinente — um evento como #EuropeanaTech acontece em paralelo no twitter. Segue abaixo uma curadoria experimental dos tweets que registrei durante o evento, como incentivo à exploração do potencial dos microblogs.

A conferência de abertura foi de George Oates (@ukglo), designer responsável pelas memoráveis interfaces originais do serviço Flickr na década passada, e protagonista do Flickr Commons (2008), que atraiu para a plataforma importantes acervos de instituições como a Library of Congress (US), a British Library (UK) e a NASA. Depois, sua passagem pelo Internet Archive é marcada pela busca por novas formas de descoberta de conteúdo, e enfatiza sua inconformidade com a centralidade da busca (search) no âmbito da pesquisa em acervos digitais. …


A Tatiana Dias (tatiana kmd), que se destaca entre as melhores da cobertura tech no país, me encaminhou algumas perguntas para uma matéria publicada recentemente no tab-uol sobre a #CrisedoFacebook ("O Algoritmo é mais embaixo"). Boa matéria, boas participações da yaso e do Danilo Doneda, e tive a impressão de que a minha contribuição representou a perspectiva da política pública à “crise Facebook”.

De onde enxergo entendo que as principais soluções para a “crise Facebook” encontram-se no reforço do papel do estado na regulação do ambiente digital, em vários casos apenas cumprindo papéis já delineados no mundo analógico. Minha experiência na coordenação de cultura digital do MinC mostrou a pertinência da reflexão avançada sobre o ambiente digital na perspectiva da política pública. …


Por uma economia política da propriedade intelectual

Image for post
Image for post

Artigo originalmente publicado no site ecologiadigital.net,
em 05 de dezembro de 2003

Um dos primeiros a destacar a necessidade de uma Ecologia Digital que se aproxima da forma como a concebemos foi James Boyle, do Direito da Duke University. Em seu livro de 1996, “Shamans, Software and Spleens”, partindo de uma decisão da Suprema Corte americana em 90 (Moore v. The Regents of the University of California) que regulamentou a possibilidade de se patentear DNA retirado do corpo de terceiros, buscou construir uma teoria social da sociedade da informação. …


Texto de apresentação do livro CulturaDigital.br, publicado em 2009 pelo Ministério da Cultura, por ocasião do lançamento do ’Forum da Cultura Digital Brasileira’ e da plataforma CulturaDigital.br

Image for post
Image for post
ORGANIZAÇÃO: Rodrigo Savazoni e Sergio Cohn

Cultura digital é um termo novo, emergente. Vem sendo apropriado por diferentes setores, e incorpora perspectivas diversas sobre o impacto das tecnologias digitais e da conexão em rede na sociedade. Interessa ao Ministério da Cultura convocar uma reflexão coletiva ampla sobre estas perspectivas, fomentando a participação de todos os interessados em um processo inovador de construção colaborativa das políticas públicas para o digital.

O barateamento do computador pessoal e do telefone celular, aliado à rápida evolução das aplicações em software livre e dos serviços gratuitos na rede, promoveu uma radical democratização no acesso a novos meios de produção e de acesso ao conhecimento. …


DPLA, Europeana e Creative Commons colaboram em arranjo para facilitar acesso aos bens do Patrimônio Cultural

Image for post
Image for post

Artigo original em inglês por Lisa Peet, 18/06/2015 — Trad. livre: José Murilo

A Biblioteca Pública Digital da América (DPLA) uniu forças com a Europeana e o Creative Commons (CC) para criar uma plataforma interoperável e colaborativa para declarações de direitos (autorais) internacionais. O Grupo de Trabalho sobre Declaração de Direitos Internacionais, composto por representantes das três organizações, desenvolveu nos últimos dois anos proposta de abordagem comum para a formulação de declarações de direitos autorais para objetos do patrimônio cultural nacional e internacional.

Atualmente, uma série de 12 declarações de direitos diferentes estão sendo propostas. Os textos das declarações serão hospedados em seu próprio namespace, rightsstatements.org, e estarão disponíveis em vários idiomas. O framework é inspirado no arranjo Creative Commons (CC), que fornece acesso a licenças de uso como um terceira parte sem fins lucrativos. Assim como hoje os usuários podem associar uma licença CC para conteúdos na web fazendo referência ao seu identificador único (URI), a nova plataforma de declaração de direitos internacionais fornecerá links persistentes para as representações textuais das declarações. …

About

Jose Murilo

Banda 69 (1980’s) / brasil.gov.br (1997) / GlobalVoices PT Editor (2006-09) / CulturaDigital.br (2009-16) / IBram (2016-) — Tainacan*

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store